Jovem é morta a tiros após ser chamada na porta de casa, em Goiânia

Capa » NOTÍCIAS » Jovem é morta a tiros após ser chamada na porta de casa, em Goiânia
Jovem é morta a tiros após ser chamada na porta de casa, em Goiânia
Compartilhe agora:

Segundo ocorrência, dupla em moto efetuou os disparos contra vítima, de 23 anos, e fugiu em seguida. Companheiro e filho do casal, de 1 ano, estavam no imóvel, mas não foram atingidos.

Uma jovem de 23 anos foi morta a tiros na porta de casa, no Residencial Forteville, em Goiãnia. Segundo informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil com base nas informações da ocorrência, a autônoma Ana Caroline Borges de Almeida Sousa foi chamada por dois homens, que estavam em uma moto. Ao sair, ela foi alvejada várias vezes e morreu no local. O companheiro e o filho do casal, de 1 ano, estavam no imóvel, mas não se feriram.

O crime ocorreu na noite de quarta-feira (11). Os suspeitos fugiram logo após os disparos, que atingiram a cabeça e o peito da vítima. Vizinhos ouviram os tiros, viram a jovem caída no chão e acionaram a polícia.

Ainda conforme a ocorrência, ao ouvir os disparos, o companheiro de Ana Caroline pegou o filho e fugiu pelos fundos da casa. O casal havia chegado horas antes de uma viagem para  Guaraí (TO).

A delegada Magda D’Ávila, que esteve no local, disse que, apesar das testemunhas dizerem que a vítima foi chamada, a perícia apontou, inicialmente, que a residência foi arrombada.

“Os peritos constataram que o portão foi arrombado. Tinha muito cápsula do lado de dentro do portão, só que não tinha nenhum local de disparo. Eles acreditam que eles deram tiros para cima e mataram ela no meio da rua em frente a casa”, afirmou

Drogas

Uma parente, que preferiu não se identificar, disse  que a jovem era usuária de maconha, mas não soube dizer se isso tem relação com o crime ou se a vítima foi ameaçada nos últimos dias.

“O que me passaram é que ela levou uns 12 tiros. A gente não sabe o que aconteceu. Ela era muito fechada, calada, na dela. Nunca foi muito de se abrir com a gente. A família dava conselhos para ela parar de usar drogas, mas ele nunca escutou”, afirmou.

Contato: (62) 9 8499 0690
(clique para ligar agora)

informativocidades@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos requeridos estão marcados *

*