Morre o motorista de ônibus que teve 80% do corpo queimado ao ser atacado em terminal de Anápolis

Capa » NOTÍCIAS » Morre o motorista de ônibus que teve 80% do corpo queimado ao ser atacado em terminal de Anápolis
Morre o motorista de ônibus que teve 80% do corpo queimado ao ser atacado em terminal de Anápolis
Compartilhe agora:

O motorista que teve o corpo incendiado dentro de um ônibus em Anápolis , a 55 km de Goiânia, morreu na manhã deste domingo (12), na capital. Segundo a família, Walisson Barbosa dos Santos, de 35 anos, teve três paradas cardíacas durante a madrugada e estava com um alto grau de infecção.  Uma mulher  foi presa suspeita de atear fogo na vitima

O caso aconteceu no último dia 1º de setembro. Câmeras de segurança registraram quando, a mulher se aproxima do ônibus, que estava parado dentro do terminal. Em seguida, ela joga etanol na cabine e coloca fogo. Depois, há uma explosão e o motorista fica com o corpo em chamas. O vídeo mostra o desespero de passageiros.

Walisson teve cerca de 80% do corpo queimado e estava internado há 11 dias no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Goiânia (IML) na manhã deste domingo.

A irmã, Gislaine Maria dos Santos, conta que a família está abalada e todos esperam Justiça por Wallisson.

“Não era essa a notícia que queríamos dar, infelizmente. Esperamos Justiça pelo meu irmão”, pontuou.Investigaçã

Investigação

Segundo a delegada responsável pelo caso, Cynthia Cristiane, em depoimento, a suspeita disse que tomou a atitude porque era zombada por funcionários da empresa de transporte público pelo fato de ele ter mau hálito , que funcionários sempre cobriam o nariz quando ela passava pelo terminal e, quando ocorreu o crime, Walisson Barbosa teria repetido o gesto na frente dela.

“Ela foi até um posto de combustíveis, comprou etanol e ateou fogo contra a vítima. Ontem esse motorista teria feito gesto de tampar o nariz”, explicou a delegada.

Conforme a Polícia Civil, a partir da morte de Wallisson, a mulher pode responder pelo crime de homicídio. O caso segue em investigação.

Por não ter o nome divulgado, não conseguimos  localizar a defesa da mulher.

Suspeita de por fogo em motorista de ônibus é contida por populares até chegada da polícia em Anápolis, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Contato: (62) 992719764
(clique para ligar agora)

informativocidades@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos requeridos estão marcados *

*