Homem é reconhecido como suspeito de matar a mulher após ser preso durante procura por autor de roubo, em Doverlândia

Capa » NOTÍCIAS » Homem é reconhecido como suspeito de matar a mulher após ser preso durante procura por autor de roubo, em Doverlândia
Homem é reconhecido como suspeito de matar a mulher após ser preso durante procura por autor de roubo, em Doverlândia
Compartilhe agora:

Por Vanessa Martins,

Um homem foi preso suspeito de roubo e, ao ser levado pela Polícia Militar à delegacia, foi reconhecido pela Polícia Civil como o procurado por um feminicídio em  Dorvelândia, no oeste goiano. Segundo a PM, o investigado confessou ter matado a companheira asfixiada após uma discussão por causa de ciúmes.

g1 não conseguiu descorir quem representa a defesa do preso para pedir uma posição sobre o caso.

A prisão foi feita por uma equipe da PM na sexta-feira (21). O soldado Cleiton Luiz Gomes contou que uma mulher denunciou que teve a loja assaltada na data e, a partir de então, ele e um colega começaram a procurar pelo autor do crime com base nas descrições da vítima e imagens de câmeras de segurança que conseguiram na região.

“Encontramos ele próximo à rodoviária da cidade, usando roupas novas. Quando o abordamos ele deu um nome, mas não achávamos no sistema, e o levamos até a delegacia. Chegando lá, um investigador reconheceu que ele era procurado pelo feminicídio por uma tatuagem que ele tem no braço”, contou.

Feminicídio

O soldado contou que, na delegacia, após ser reconhecido, o preso admitiu que havia matado a então companheira no último dia 17 de janeiro.

Segundo Gomes, o casal havia discutido por causa de ciúmes, o homem bateu na mulher e fugiu. Ela chamou os policiais e foi aconselhada a ficar na casa da filha por alguns dias, por segurança.

“[O preso] contou que ficou escondido na casa dela, debaixo da cama, esperando ela voltar para matá-la. Quando ela foi lá depois de dois dias para buscar uns documentos, ele a surpreendeu no banho e a matou enforcando-a com uma blusa dela”, relatou o soldado com base na confissão que ouviu do investigado.

Unidade Prisional de Caiapônia — Foto: Reprodução/Polícia Militar

Contato: (62) 992719764
(clique para ligar agora)

informativocidades@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos requeridos estão marcados *

*