Senador Jorge Kajuru rebate acusações de ex-assessor: “Profissional da extorsão”

Capa » NOTÍCIAS » Senador Jorge Kajuru rebate acusações de ex-assessor: “Profissional da extorsão”
Senador Jorge Kajuru rebate acusações de ex-assessor: “Profissional da extorsão”
Compartilhe agora:

As declarações de Kajuru vêm após uma entrevista exclusiva com Xande, publicada nesta segunda-feira pelo Dia Online, onde o mesmo faz acusações contra o parlamentar.

O senador Jorge Kajuru (sem partido), em entrevista ao Dia Online, rebateu no início desta noite (15/7) as acusações feitas pelo ex-assessor Alexandre Machado de Souza, o Xande, e disse que o ex-comissionado da Câmara tenta “extorqui-lo”. As declarações do parlamentar vêm após uma entrevista exclusiva com Xande publicada nesta segunda-feira pelo Dia Online, onde o mesmo alega ter sido lesado por Kajuru na área trabalhista, além de atribuir a ele outras acusações.

De acordo com Kajuru, os relatos de Xande são absurdos e o ex-assessor seria um “profissional da extorsão”. O parlamentar  conta que a ação trabalhista a qual Xande pretender levar à Justiça contra ele será ganha por sua advogada com facilidade, uma vez que as acusações não corresponderiam à verdade.

Conforme o senador, Xande o assessorou apenas nos primeiros dias de contrato, mas sua postura teria feito com que Kajuru, à época vereador, o rebaixasse a apenas motorista. “Ele vendia coisas nos outros gabinetes [da Câmara Municipal de Goiânia ], coisas como camisinha e chaveiro, e isso incomodava o pessoal. Então resolvi deixá-lo apenas como meu motorista”, diz Kajuru.

Ainda segundo Kajuru, a única função de Xande era deixá-lo na Câmara às 5h, levar seu café da manhã às 7h e depois seu almoço. Feito isso, conta Kajuru, Xande ia embora para casa.

Questionado sobre a declaração de Xande, de que o ele teria deixado o ex-assessor “na sarjeta”, o parlamentar se referiu a ele como “picareta”. “Ele leva uma vida boa, com casa que tem até piscina!”, disse. “Foi combinado desde o início que ele não poderia ir comigo para o Senado, porque lá eu não teria carro oficial para ele dirigir. Então tentei ajudá-lo na Câmara, mas ele recusou”. De acordo com Kajuru, Xande teria reclamada do salário oferecido, porque queria um valor bem acima do que é normalmente pago para a função que exerceria.

Mesmo assim, de acordo com Kajuru, o parlamentar tentou ajudar o ex-assessor. Após a recusa de Xande, Kajuru conta que acabou indicando a filha dele ao presidente Câmara Municipal, Romário Policarpo, que chegou a empregá-la, mas optou por substituí-la por precisar de alguém com formação jurídica para atuar na Casa, o que a moça não possuía.

Senador Kajuru conta que usava álcool em gel devido a problema na visão

Uma das acusações feitas pelo ex-assessor, Xande, era a de que Kajuru passava álcool pelo corpo depois de cumprimentar eleitores, chegando a chamá-los de “povo fedido”. Entretanto, segundo o senador Kajuru, o álcool era usado devido à uma necessidade médica, uma vez que o parlamentar possui problemas na visão.

“Todo mundo sabe que tenho problema na visão. Eu não tenho um dos olhos por causa de um descolamento da retina. Eu preciso usar álcool em gel várias vezes durante o dia para colocar a mão na prótese, que fica no olho direito. É uma determinação médica”, diz.

Kajuru diz que nunca teve receio de pegar na mão das pessoas, e que já chegou a cumprimentar 20 mil pessoas em um só dia, num estádio de futebol.

Outro ponto levantado por Xande e que Kajuru alega ser inverdade seria a função do ex-assessor em sua casa. “Ele [Xande] nunca passou minhas camisas e nem fez minha comida. Quem fazia isso era a Marluce, minha diarista”, conta.

O senador também contou que, ao contrário do que havia alegado Xande, ele comprou os pneus novos para o carro usado por ele e que guarda todos os recibos como o da compra de pneus, R$ 600 por mês pelo uso do carro mais o salário pago pela Câmara Municipal.

 

Xande contou que, ainda esta semana, entrará com uma ação trabalhista contra Kajuru. De acordo com ele, as horas extras, feriados e fins de semana jamais foram pagos, e em dois anos de trabalho, mesmo recebendo da Câmara, ele jamais pôde gozar do período de férias. Xande disse que quando cobrou os direitos trabalhistas não pagos, recebeu sarcasmo como resposta.

Ao Dia Online, Kajuru disse que não pretende entrar com medidas judiciais contra Xande para o que o senador classifica como tentativa de extorsão, mas garante que irá se defender, uma vez que, segundo ele, que possui muitas provas.

Contato: (62) 992719764
(clique para ligar agora)

informativocidades@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos requeridos estão marcados *

*